Liberdade.

Todos os textos publicados nesse blog são livres para serem copiados e reproduzidos.
Porque não existe outra pretensão em nossos escritos, que não seja expressar o nosso pensamento, nossa forma de ver e sentir o mundo, o Homem e a Vida.
Se você acreditar seja necessário e ético, favor indicar a origem e o Autor. Ficamos lhe devendo essa!
Um grande abraço.
Eduardo G. Souza e Lígia G. Souza.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013




SANTOS COSME E DAMIÃO

27 de setembro
Patronos dos Farmacêuticos

As fontes históricas existentes não são totalmente concordantes entre elas, apesar de terem muitos aspectos em comum, mas apresentam três diferentes tradições:
- tradição "asiática", da cidade de Constantinopla, capital do Império Bizantino;
- tradição "romana" estabelecida na Síria;
- tradição "arábica" difundida no Ocidente, especificamente em Roma.
Todas as três tradições referem-se a "irmãos gêmeos, médicos e farmacêuticos".
Segundo a tradição hagiográfica, Cosme e Damião, na verdade chamavam-se Acta e Passio, eram irmãos gêmeos, nascidos na Arábia, estudaram a arte médica na Síria. E se tornaram conhecidos por suas habilidades nas ciências da medicina e da farmácia que praticaram na Cilícia, Ásia Menor.
Sendo cristãos, eles foram tocados pelo espírito da caridade e nunca cobraram ou aceitaram nenhum pagamento por seus serviços. Na Cilícia, onde viviam, eles eram conhecidos como os "sem dinheiro”, e desfrutavam da mais alta estima do povo. Cosme e Damião muitas vezes traziam a saúde de volta para os corpos e as almas daqueles que vinham até eles em busca de ajuda. Dessa forma, eles trouxeram muitos para a fé cristã.
Quando a perseguição de Diocleciano aos cristãos começou, Cosme e Damião foram presos por volta do ano 283, por ordem do prefeito da Cilícia no mar Egeu, chamado Lysias, e sob tortura tentaram forçá-los a negar a fé cristã. No entanto, segundo a história, eles permaneceram fiéis à sua fé, então foram torturados e finalmente foram executados por decapitação, provavelmente no dia 27 de setembro do ano 287.
Outra narrativa atesta que foram mortos em Cyrus, uma cidade perto de Antioquia, na Síria, onde os mártires estariam enterrados. A igreja erguida no local de sua sepultura foi ampliada pelo imperador Justiniano.
A santidade deles é atribuída por exercerem a medicina sem cobrar ou aceitarem recompensas e por terem morrido sacrificados pela fé no Cristo. A devoção aos dois santos se espalhou rapidamente, tanto no Oriente e no Ocidente. Uma grande basílica foi erguida em sua homenagem em Constantinopla. Seus nomes foram colocados no cânon da missa provavelmente no século VI.
Sua festa é celebrada no dia 27 de setembro pelo povo em geral, pelos católicos tradicionalistas, devotos mais antigos, e pelas religiões afro-brasileiras; A Igreja Católica, com a reforma litúrgica no Calendário Romano, a partir de 1969 passou a comemorá-los no dia 26 de setembro; Na Igreja Ortodoxa eles são celebrados nos dias 01 de julho (Santos Cosme e Damião de Roma), 17 outubro (Santos Cosme e Damião da Cilícia) e 01 de novembro (Santos Cosme e Damião da Ásia Menor).
São Cosme e Damião também são considerados protetores dos gêmeos e das crianças. Por isso, as pessoas criaram o costume de distribuir os doces para homenagear os santos e/ou cumprir promessas feitas a eles. No nordeste os devotos e simpatizantes têm o costume de fazer caruru (uma comida típica da tradição afro-brasileira), chamado também de “Caruru dos Santos” e “Caruru dos sete meninos” que representam os sete irmãos (Cosme, Damião, Dou, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi), e dar para as crianças.
Consta que eles são os santos padroeiros dos farmacêuticos.


Eduardo G. Souza